Artigos

SIBO: Sintomas, causas e tratamentos desta síndrome

O nutricionista pode promover alívio e eficácia do tratamento com a dieta certa. Saiba mais sobre a SIBO: Sintomas, causas e tratamentos e agende a sua consulta

Se você sente uma grande fadiga, enjoos diários e tem a sensação de que o estômago está bem cheio mesmo após comer pouco, isso pode ser um dos sinais de que o seu organismo está com SIBO.

E o que é esta síndrome? quais as suas causas, seus sintomas? Afinal, a SIBO tem tratamento?

Do inglês “Small Intestinal Bacterial Overgrowth”, a sigla SIBO significa “Supercrescimento Bacteriano do Intestino Delgado”. Trata-se de uma síndrome que ocorre no corpo como uma resposta do organismo à proliferação de bactérias no intestino delgado. A maior parte dessas bactérias, geralmente se encontram no intestino grosso.

Quando eventualmente essa população de bactérias aumenta em grande proporção no intestino delgado, o corpo responde com uma reação (inflamação) que implica nestes e noutros sintomas, causando um grande desconforto aos pacientes.

Neste sentido, algumas dietas específicas visam reduzir a inflamação no trato digestivo e o crescimento bacteriano no intestino delgado, auxiliando no tratamento.Como funciona o nosso intestino? Por que temos essas bactérias?

O nosso intestino é composto pelo intestino delgado e grosso. O corpo humano possui bactérias em pequenas e grandes colônias que auxiliam no bom funcionamento do nosso organismo. Assim, existem pouquíssimas bactérias no estômago; um número um pouco maior de bactérias no intestino delgado – que é o que vem depois do estômago e um número muito maior de bactérias no cólon do intestino grosso.

A microbiota intestinal ou “flora intestinal” possui uma série de funções, como a digestão de compostos dos alimentos que não serão aproveitados pelo organismo; crescimento celular; proteção contra bactérias e micro-organismos nocivos; e o fortalecimento do sistema imunológico contra muitas doenças.

Durante a noite e entre as refeições, o intestino delgado normalmente tem uma função chamada “complexo motor migratório – CMM”, que empurra essas bactérias intestinais para dentro do intestino grosso, onde farão o seu trabalho.

E o que faz com que esse “exército” de bactérias aumente rápido?

Podem ser várias as causas. Pode ter relação com com trânsito lento da comida pelo intestino, em razão de alguma cirurgia e por causa disto, as bactérias não conseguem cumprir o seu papel no intestino grosso, proliferando-se no intestino delgado. Esta é uma situação que pode ser desencadeada logo após o paciente ter feito uma cirurgia que altere o trânsito dentro do intestino ou, noutra hipótese, o paciente pode ter hipotireoidismo, o que faz com que suas alças intestinais contraiam lentamente.

Outra causa também comum é a baixa acidez do estômago. Quando nos alimentamos, o nosso estômago libera ácido clorídrico principalmente em resposta à proteína e esse ácido clorídrico baixa muito o pH do estômago, tornando-o bem mais ácido. Desta forma, há uma mortalidade imensa de bactérias que não chegam ao intestino delgado – sendo bem poucas as que passam.

Quando perdemos essa acidez do estômago por qualquer razão, essas bactérias param de morrer e começam a se destinar em grandes volumes para o intestino, onde passam a existir em excesso e provocando os problemas já conhecidos.

Outro fator desencadeador da SIBO pode ser o uso de medicamentos por parte do paciente, que também alteram o pH do seu organismo ou a microbiota dos intestinos.
Existem ainda outras causas que podem colaborar para o super-crescimento bacteriano intestinal: São elas:

  • Uso crônico de antiácidos (pantoprazol, omeprazol, esomeprazol, ranitidina);
  • Diabetes;
  • Uso de imunossupressores e antibióticos;
  • Cirurgias bariátricas;
  • Gastrites atróficas;
  • Esclerodermia;
  • Cirrose hepática.

E quais são os demais sintomas da SIBO?

Outros sintomas comuns são inchaço abdominal, constipação intercalada com diarreia, flatulência e arroto constantes, fadiga e perda de peso.

Essa inflamação que ocorre como uma resposta do organismo ao aumento de bactérias no intestino delgado – que é a primeira porção do intestino, também pode implicar em gordura no fígado e esteatose hepática, espalhando-se para outros órgãos.

Por isso a necessidade de entrar em contato com o médico, o quanto antes os sintomas aparecerem.

Existe também uma comunicação importante na relação entre o intestino e o cérebro. Ocorre que os órgãos do aparelho digestivo se comunicam e mandam sinais através do nervo vago para o cérebro, que entende estes sinais como “alertas”. Desta forma, a SIBO também pode ser a causa de alguns sintomas psiquiátricos como a depressão e a ansiedade, que é a forma de o cérebro “mostrar” que há algo errado no corpo.

Deficiência de Nutrientes em decorrência da SIBO

A deficiência de nutrientes é uma consequência da SIBO, porque as bactérias em excesso deixam de fermentar corretamente certos alimentos e garantir a absorção de vitaminas e nutrientes, como o Ferro e o Zinco, por exemplo. Também é muito frequente a deficiência de vitamina B12.

Por isso o acompanhamento da nutricionista é fundamental, para garantir uma dieta específica capaz de amenizar a inflamação e promover alívio dos sintomas, além da recuperação de vitaminas e nutrientes. Parte desta dieta consiste em eliminar ou reduzir os carboidratos da alimentação, e que são fermentados pelas bactérias do cólon.

Como procede o diagnóstico e o tratamento de SIBO?

Com alguns exames clínicos, como por exemplo o exame de sangue, é possível detectar a deficiência de vitamina B12, ferro e zinco, além da ausência de outros minerais e vitaminas no organismo. O tratamento, por sua vez, consiste no uso de antibióticos específicos, probióticos e também na promoção de uma mudança nos hábitos alimentares.

Vale ressaltar que, é de suma importância a identificação do que levou ao aparecimento da SIBO, para que os tratamentos tenham um melhor efeito e não haja uma recorrência da inflamação no futuro.

Portanto, se você esta apresentando os sintomas citados acima, procure um especialista. Entre em contato comigo e agende a sua consulta. Eu posso lhe ajudar a se sentir bem melhor sem sofrer com qualquer um destes desconfortos.
Consulta nutricional presencialmente ou on line. Telefone 11 99228-8515 (WhatsApp).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *